Artigos

imprimir

PNL Para que te quero?

25 de janeiro de 2007

Um chaveiro cheio de chaves está em suas mãos. Á Sua frente, várias portas que podem te conduzir a desafios, oportunidades e conquistas; Ao bem e ao mal; Ao sucesso ou fracasso; A felicidade ou infelicidade. Você hesita. Por qual porta deve entrar? E, uma vez escolhida, como abri-la? Qual chave usar?

Dulce Gabiate e Sandra Braconnot

Provavelmente, em algum momento você viveu uma situação metaforicamente parecida. Afinal, a vida é feita de escolhas e cada escolha - consciente ou não - provoca mudanças e transformações. A grande questão, então, gira em torno da pergunta: Como abrir as portas que você escolheu? A Programação Neurolinguística (PNL) tem algumas chaves para te oferecer: autoconhecimento, revisão de valores, ampliação das percepções sensoriais - que possibilitam compreender e alterar estados emocionais. E isso de forma simples e prática.

A PNL é uma ferramenta que instiga a reflexão sobre si mesmo permitindo identificar os fatores que influenciam atitudes e abrem (ou fecham) portas. Flexibilidade para reavaliar pontos de vista, criatividade para buscar alternativas de soluções, compaixão pelas pessoas e abertura para lidar com as mudanças são algumas competências que a PNL ajuda a desenvolver. Quando se compreende que a realidade é criada através de lembranças, crenças e percepções e se aprende a ressignificar os fatos - alterando o significado que foi dado anteriormente a eles - é possível dar o salto para a felicidade.

Por meio de pressupostos e técnicas a PNL passa a ser uma poderosa ferramenta para alavancar transformações, alterar comportamentos e promover uma comunicação efetiva e eficaz, porque permite entender como cérebro funciona, como criamos sentimentos, pensamentos que geram comportamentos e como é possível alterá-los em benefício próprio.

Um dos pressupostos mais importantes da programação neurolinguística é o mapa não é o território que significa que as pessoas são diferentes em função das percepções individuais da realidade e de suas experiências de vida. Enriquecer o próprio mapa é uma forma de ampliar escolhas e, principalmente, se transformar de vítima em criador. Por outro lado, conhecer e respeitar o mapa das outras pessoas possibilita melhorar a comunicação e conseqüentemente os relacionamentos.

Já as técnicas utilizam a visualização e a consciência sensorial na revisão dos pontos do passado geradores de bloqueios a fim de trazer à tona os recursos internos latentes necessários para criação de novos comportamentos e o alcance das metas.

A PNL ajuda você a criar um roteiro para alcançar melhoria da qualidade de vida e estar-bem apesar das pessoas, das situações, dos acontecimentos, do caos. Então, respondendo a pergunta do título, PNL - para quê te quero?

PARA SER FELIZ E GERAR FELICIDADE!

PS: Se o assunto lhe interessou, venha participar do Workshop PNL - Para que te quero? que será realizado em Março, ou programe uma turma in company. Teremos muito prazer em compartilhar nossas chaves.

gabiate@gmail.com - sanfloresrj@terra.com.br
www.gabiate.com.br - www.sandrabraconnot.com

Voltar